Desde os irmãos Lumière, o cinema conta histórias por meio de personagens e cenários. Juntos, diretor, roteirista e outros profissionais da sétima arte imaginam enredos que antecipam o futuro, como fez George e Gaston Méliès em “Viagem à Lua”, de 1902. Outras vezes, resgatam fatos que marcaram gerações e que nos ajudam a entender como chegamos aos dias de hoje.

Em entrevista sobre o livro “Os filhos dos dias”, lançado no final de 2012, o jornalista e escritor uruguaio Eduardo Galeano afirma: “Os cientistas dizem que os humanos são feitos de átomos, mas a mim um passarinho contou que somos feitos de histórias”. A obra foi inspirada nos ensinamentos maias e funciona como um calendário, reunindo 366 textos, um para cada dia do ano (incluindo os bissextos). Ignorando as fronteiras geopolíticas, Galeano constrói um rico mosaico a partir da diversidade de povos e culturas.

No entanto, o cinema e a literatura nunca conseguirão esgotar esse universo infindável de possibilidades. Afinal de contas, a cada nascer e pôr do sol, milhares de histórias são escritas por pessoas e empresas de um extremo ao outro do planeta. Assim como a descoberta dos Lumière e o legado dos maias, elas são fundamentais para a construção de algo muito maior: a história da nossa humanidade – da qual fomos, somos e seremos parte integrante.

Para nós, da Communicare, o prazer diário consiste em ajudar os nossos clientes a construir essas pequenas histórias do dia a dia. Às vezes, nosso papel é o de registrá-las e depois contá-las da melhor forma possível, buscando torná-las ferramentas de transformação de ideias e de comportamentos. Das mais singelas às mais complexas, essas histórias são o combustível que alimenta a nossa crença no poder da comunicação. Foram elas que deram força à Communicare ao longo de quase 25 anos e que vão continuar pautando a nossa atuação em 2015. Que venham muito mais histórias!

Leave a Reply